Como cuidar de plantas em apartamentos

Blog
/

Confira quais as espécies mais indicadas para cada espaço e cuidados essenciais para mantê-las vivas e desenvolvidas

 

 

Ter plantas em casa é gostoso demais. Você deixa um pouco de lado a selva de pedra das cidades, encontra um hobby muito prazeroso e ganha em qualidade de vida. Mas são seres vivos, é sempre importante destacar, e precisam de cuidados para se desenvolverem e se tornarem lindas e felizes como merecem. Confira, abaixo, dicas para cuidar de plantas dentro de apartamentos.

 

Adapte para a sua rotina

Se ama as plantas, as tenha apenas na quantidade que puder cuidar. É preciso, por exemplo, adaptá-las às horas que poderão ser utilizadas na manutenção. Algumas espécies precisam ser regadas ou mesmo movidas todos os dias, ou mais de uma vez por dia, dependendo da quantidade de sol e água que necessitarão para uma boa vida. Já outras podem tranquilamente ficar no mesmo local e aceitam serem regadas em intervalos maiores. 

 

Conheça o ambiente

Se cada espécie demanda uma quantidade certa de luz para se desenvolver - nem mais, nem menos -, é importante conhecer totalmente o ambiente em que elas ficarão. Isso significa entender quais os horários em que cada ponto da casa pega sol, onde a luz permanece por mais tempo, onde elas ficam mais protegidas de possíveis parasitas.

Em ambientes escuros, o ideal é apostar em uma iluminação especial. Na impossibilidade, escolha espécies que podem resistir a essa condição, como jibóia, palmeira-ráfis e espada de São Jorge. Em cômodos que até têm presença do sol, mas a sombra é predominante, a melhor escolha é por plantas de até 30 cm de altura e com folhas escuras - costela-de-Adão, lírio da paz, dracena e antúrio vão bem nesse cenário. Se o espaço se divide bem entre horas ensolaradas e períodos com sombra, é possível optar por espécies de até 1,2 m de altura, também com folhas escuras - chifre-de-veado, zamioculca, avenca, antúrio e palmeirinha gostam dessas condições. 

Mesmo se o ambiente for bastante ensolarado é preciso ter cuidados e escolher plantas que são sedentas pela luz solar. Nesse caso, a melhor escolha é por espécies com folhas claras, como fórmio, samambaia, orquídea, bromélia e pacová.

 

Adubo sim, adubo sempre

Toda planta precisa de adubo. É ele quem vai prover nutrientes essenciais para um crescimento saudável para a sua plantinha. As formas são várias: é possível utilizar cascas de banana ou de ovos e até canela, que evita a proliferação de fungos. Só não vale colocar restos de carne, gorduras, laticínios, remédios, ervas invasoras , ossos e espinhas.

 

Por fim, tenha amor por plantinhas!

Vale conversar, vale fazer um carinho e vale, principalmente, manter uma rotina de cuidados. Confira, aqui, dicas gerais e específicas para determinadas espécies.

  • Se a planta cresce em um vaso, é bom manter um prato com areia na base para evitar o vazamento de água ao regar. Assim você mantém a umidade e, claro, evita o mosquito da dengue;
  • Existem plantas que, para além da quantidade, precisam ser regadas de forma sutil. No caso de suculentas e cactos, o mais indicado é utilizar um borrifador, sem encharcar a terra;
  • Deixe as plantas sempre perto das janelas Assim, além de conferirem a vizinhança, elas aproveitam o sol. Vale inclusive para aquelas que preferem luz moderada;
  • Sempre tire as folhas já ressecadas, para evitar que algum fungo se espalhe e contamine as partes ainda vivas.